quinta 03 agosto 2017

DOURADO: O conquistador de títulos e acessos!
Veja a trajetória do técnico do Tricolor da Ribeirinha.



   Que Fernando Dourado foi campeão com o América em 2012, nós já sabemos. Com personalidade forte, marcado por dizer verdades sem pestanejar, mas também com um carisma inigualável e molejo para construir um grupo unido e motivado com um objetivo em comum, este é o técnico do Tricolor para a Série A2 2017. Mas você sabe por onde este treinador andou antes e principalmente depois do título da Série A2 de 2012?

 

Antes do América

   Bom, Dourado nasceu em Belém do Pará e começou sua carreira no futebol como atleta da Tuna Luso Brasileira, um time da capital paraense. Jogava como meia-atacante e até fazia gols até perceber que o melhor caminho era estudar educação física e continuar no futebol. Assim, ele se formou em Educação Física na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e trabalhou como preparador físico até 2004, passando por times de tradição como Bahia, Vitória, CRB, entre outros. A transição de preparador para treinador se deu no Alagoinhas Atlético Clube da Bahia, onde garantiu a vaga para o Campeonato Brasileiro da Série C.

Dourado trabalhou no Qatar entre 2006 e 2008   Depois de deixar o Atlético, Dourado seguiu por vários clubes do Brasil, inclusive pelo Itabaiana em 2006. Neste mesmo ano, ele teve sua primeira experiência internacional quando trabalhou no Al Shamal Sports Club do Qatar, onde permaneceu até 2008.

 

          “Agradeço a oportunidade que o empresário Rick Nigeriano me deu no meu trabalho no exterior, no Qatar. Isto foi de grande valia e crescimento profissional.” – relembrou Dourado.

 

    Retornando ao Brasil, ele trabalhou em clubes do Norte/Nordeste brasileiro, até chegar no Moto Club do Maranhão, onde foi campeão estadual da série B em 2010. Em seguida Fernando deixou o Brasil novamente. Desta vez, foi até a Bolívia, onde treinou o Univrsidad de Cobija em 2011.

 

No América em 2012

   Mais uma vez de volta ao Brasil, Dourado chegou ao América em 2012 através de um empresário de Salvador, o J. Barbosa, que o indicou ao presidente Joaquim Feitosa. Até então desconhecido pela imprensa sergipana e principalmente pela torcida tricolor, a principal referência de Dourado era o trabalho no Qatar e, claro, as conquistas jogo-a-jogo naquela Série A2.

   O primeira partida com vitória de 2x0 sobre o Força Jovem de Aquidabã já havia sido um grande cartão de visitas, mas foi a vitória por 4x0 sobre o Propriá que fez a torcida apostar no trabalho do técnico. Como ele mesmo lembrou, naquela competição o América perdeu apenas uma vez, garantindo 8 vitórias e 5 empates, numa campanha épica.

 

          “Esse título com o América é inesquecível. Falo sempre que naquele ano montamos uma das melhores famílias de trabalho que já fiz no futebol. Lembro da união, disciplina, superação e perseverança de todos. Gabriel Lemos, Jorge Jr. e Galdino Ventura foram de grande valia para o nosso título daquele ano, sou muito grato aos três! Tenho imenso carinho pelo grupo de 2012. ” – relembrou.

 

   O acesso daquele ano se deu com dois empates sofridos sobre o Boca Junior e o título foi conquistado com uma vitória por 2x1 em casa contra o Estanciano e um empate de 1x1 em Estância.

 

Depois do América

   A saída de Dourado deixou muita gente triste e chateada. O treinador que duas semanas antes ouviu ecoar o grito de “Fica Dourado!” no Durval Feitosa, deixou o clube ribeirinho logo após a conquista do título e foi para o Lagarto com 9 jogadores que haviam sido campeões da A2.

    No Campeonato Sergipano de 2013, agora na Série A e já com o Lagarto, Dourado conseguiu vaga na Copa do Brasil, mas acabou deixando o clube após um desentendimento com a diretoria que passou a não cumprir seus papéis, inclusive atrasando salários.

   Em 2014 ele chegou ao Colo-Colo de Ilhéus para conquistar mais um título estadual com acesso da Série B para a Série A. Desta vez, na Bahia, claro! Foram 16 jogos até o título, levantando a taça com o orgulho de ter sido invicto após dois empates com o Jacobina.

   Lá, em Ilhéus, Dourado se tornou ídolo da população por causa do campeonato conquistado. Tanto é que a câmara de vereadores da cidade lhe concedeu o título de Cidadão Ilheense. Depois disso, ele fez alguns bons trabalhos no Nordeste em times como o Flamengo-BA, o Jaconina e seu último trabalho em Sergipe, no Dorense, ainda no início deste ano.

   Há pouco mais de um mês, Dourado concluiu o curso de Licença Nível A da CBF Academy. Qualificação esta que apenas 8 dos 20 treinadores do Brasileirão possuem. Na foto ao lado, ele está com Carrile, treinador do Corinthians e atual líder da Série A do campeonato Brasileiro.

 

          “É um curso de grande importância e apesar da minha carreira cheia de experiências, este curso acrescentou muito em meus conceitos.”

 

De volta ao América

   Na verdade, Dourado já poderia ter voltado ao Tricolor da Ribeirinha há mais tempo. Pelo menos, não foi falta de interesse da parte dele nem da diretoria, mas como o clube trabalha em parceria com empresários, em 2015 o então gestor desportivo Jorge Nascimento optou pela contratação de Ado Almeida. Já no ano passado, Sérgio Rios preferiu trazer Rubens Sanches.

   Agora, 4 anos depois do título de 2012, foi o próprio Sérgio Rios o primeiro a manifestar interesse em “repatriar” Fernando Dourado. Após longas conversas, propostas e contra-propostas, o presidente Joaquim Feitosa assumiu a responsabilidade e anunciou a volta do treinador. Dourado diz que nunca esqueceu o calor da torcida americana e o carinho com o qual foi acolhido pelo povo de Propriá e foi isto que o fez voltar, além é claro, da identidade que ele criou com clube e também por acreditar no projeto de Joaquim Feitosa, Sérgio Rios e Almir.

 

         “Gosto de desafios e de trabalhar com atletas comprometidos, profissionais ao extremo e que tenham ambições para vencer sempre!”

 

   Com a missão de recontar a história do clube obtendo as mesma conquista de 2012, Dourado sente o peso da responsabilidade, mas já diz ter a receita para obter sucesso na competição:

 

         “Além de muita ênfase na parte técnica e tática, eu busco num grupo a motivação total e um ambiente saudável. Vamos aplicar isto no América: uma metodologia de trabalho integrado. Em conjunto com a nossa comissão técnica, o América unido, unido vencerá!” – completou Dourado.

 

   O primeiro desafio do América na A2 está marcado para às 15h do dia 16 de setembro no Estádio Durval Feitosa e será contra a equipe do Maruinense.

 

 


Parceiros

Redes Sociais


Copyright 2013 América F.C. Todos os direitos reservados. Site desenvolvido por Tharlysson B. & Gabriel L.