França

<

 

Nome: Eduardo Pereira França

Naturalidade: Propriá-SE

Posição: Goleiro

 

   Também conhecido como Cochilão, França começou a jogar como lateral-esquerdo no juvenil do América em 1962, quando tinha 18 anos. 

   Naquela época, quando o América era conhecido como o Milionário da Ribeirinha, o clube disputava a Taça José Neto. E foi neste torneio, num jogo de ida, contra o Cofiança, que França foi relacionado como goleiro reserva. O Dragão da capital derrotou o América por 1x0. França ainda não sabia, mas no jogo de volta ele iniciaria uma carreira que o faria ser tratado como o melhor goleiro que o América já teve até os tempos de hoje. Acontece que na véspera da partida, o então goleiro titular Luiz Mário deixou a equipe. Augusto da estação, dirigente do clube, foi buscar Garcia, um goleiro de Porto da Folha, para jogar como titular porque a pouca idade de França era algo que não dava confiança a alguns membros da comissão técnica e da diretoria. Foi um outro dirigente, Ruancelli que bateu o pé e disse que, apesar dos 18 anos, França é quem deveria entrar como titular. E assim foi feito. O próprio França conta como foi o jogo:

 

          "A primeira bola foi lá no ângulo, mas mesmo assim eu fui nela e até consegui colocar a mão, só que acabei entrando com tudo. Depois disso, peguei todas e o América virou pra 2x1."  - relembrou o ex-goleiro.

   Depois daquele jogo, ele passou a ser o dono incontestável da camisa #1 e nas partidas em que jogou, ele sempre era um destaque a parte. Era um goleiro artilheiro, já nos anos 60, pois era ótimo cobrador de faltas e batedor de pênaltis, sempre convertidos. Foi o arqueiro que vestiu as cores do Tricolor da Ribeirinha no vice-campeonato de 66 e na conquista do Sergipano de 66.  Bom com as mãos, nos recreativos gostava de atuar como centroavante.

   Após ter sido campeão sergipano, foi jogar no Santa Cruz de Pernambuco. Voltou para o América para jogar a Taça Brasil. Em 1969 foi jogar no Propriá e em 1972 foi para o Ypiranga da Bahia. No clube baiano, relembra com muita satisfação quando jogou contra o Botafogo carioca na Fonte Nova, fechou as traves e graças às suas defesas, o placar ainda marcava 0x0 quando o juiz deu o apito final. França ainda passou pelo Ilhéus-Ba, Botafogo-BA e Leon-BA até chegar ao Vitória, em 1976, quando disputou o Campeonato Brasileiro e, no ano seguinte, participou de uma excursão que o time fez pela Europa passando por Bélgica, Espanha, Inglaterra e França.

   O goleiro se aposentou em 1986 no Vitória e até hoje mora na Bahia.

   

              

Parceiros

Redes Sociais


Copyright 2013 América F.C. Todos os direitos reservados. Site desenvolvido por Tharlysson B. & Gabriel L.